ARTIGOS





















Taças Tibetanas e Taças de Cristal de Quartzo 
 (por André Valentim)

A terapia do som é muito antiga, assim como as Taças Tibetanas.
A informação que temos é que vieram do Oriente, mas talvez o conceito venha de mais longe, do antigo Egipto, onde  já se utilizavam vasos de alabastro para produzir sons. Será, em parte, o efeito das taças de cristal de quartzo.
Em Sakara, Egipto, existiam câmaras onde eram colocados  Vasos de alabastro de vários diâmetros, alguns preenchidos com água. A intenção era reproduzir as notas musicais numa vasta escala de vibrações. Existiam em Sakara 5 camaras, cada uma reproduzia uma frequência de sons, cada vez mais altos. Estavam a 30 metros de profundidade, abaixo da pirâmide de Sakara. A nota mi ressoava nas 5 camaras, primeira entrada dos neófitos.  Depois as notas  “Fá”, “Sol”, “Lá”, nas demais camaras, consoante os sacerdotes avançavam na aprendizagem. Na camara principal, vibrava a nota “Si”, onde os mais altos iniciados atingiam níveis de consciência muito elevados e ascendiam, assim, a outras dimensões da consciência - estas câmaras eram denominadas “câmaras azuis”.
Nesse sentido, podemos perceber que a origem da utilização de vasos, taças e outros objectos sonoros vem de muito longe.
O efeito dos sons é muito curioso. No caso das taças de cristal de quartzo, elas oscilam de uma forma regular vibrando em espiral, numa onda sinusoidal que se expande até 1 km. Esta onda vibra na proporção do numero de ouro, a proporção Divina.
Nas terapias que faço com taças de cristal de quartzo e taças tibetanas constato que quando o som é produzido, automaticamente a aura da pessoa muda de cor, dependendo da taça utilizada. Alguns bloqueios (mais externos) são quebrados imediatamente, saindo do campo de energia da pessoa em forma de vapor. Aí a aura fica mais luminosa, por isso, o efeito relaxante que se produz. A  tendência é que a pessoa comece a mudar os seus padrões de comportamento anteriores, para comportamentos mais lúcidos e harmoniosos.
Com a frequência do tratamento, a lucidez aumenta e a pessoa começa a reorganizar-se perante a vida. As situações mudam e o ser cresce cada vez mais ao nível da consciência. O processo de transformação torna-se simples se compreendermos que a pessoa passa a vibrar em harmonia com o universo.
Cada ser humano tem o seu “tempo” para a mudança. Por isso, o “tempo” da terapia varia.
Os efeitos que se podem observar são: relaxamento profundo (em especial para casos de ansiedade, insónia e hiperatividade), casos de hiperatividade, redução da agressividade, limpeza e reequilíbrio da estrutura áurica, mudança e tomada de consciência.





As cinco virtudes:  para quem faz meditações.


Quem pratica meditação tem que praticar a construção do caráter. Sem isso existe uma tendência a tornar-se pior.  Por que? Depois de você ter feito uma boa meditação, você se sente em êxtase, mas após dois ou três dias,  você fica nervoso ou de mal humor? Meditar regularmente é como ser fertilizado. Jogue o fertilizante no solo, e o que quer que esteja no solo, sejam sementes boas ou ruins, vai crescer. Tudo, seja vicio ou virtude,  é ampliado. Se  uma pessoa que estiver no caminho espiritual não praticar a construção do carater, existirá uma tendência de que ela se torne pior.


Com as virtudes desenvolvidas a conexão com a alma é maior. Todas as vezes que você evita atos prejudiciais, a conexão com a alma superior aumenta. Mas todas as vezes que uma pessoa quebra as virtudes, a conexão fica mais fraca.


Um mestre disse, certa vez, que os vícios e fraquezas são como lama que faz com que você  fique atolado quando está tentando subir a escada espiritual. Se você não se purificar, a lama endurecerá e você não conseguirá subir mais. Pode até surgir uma tendência para descer. Por isso é muito importante o  desenvolvimento do caráter.


As cinco virtudes:


Bondade amorosa – significa ausência de crueldade e maus propósitos. Estas virtudes vem em pares, yang e yin , que correspondem aos “faça” e “não faça”. A bondade-amorosa é a prática da compaixão e bondade. Pode ser expressa fisicamente, verbalmente e mentalmente. Ser educado cortês e prestativo são atos de bondade-amorosa.  Verbalmente, você pode usar palavras edificantes e encorajadoras.  Por exemplo, você pode valorizar ou demonstrar reconhecimento pelas  realizações de uma pessoa. Desta forma, ela será inspirada a se tornar melhor. No nível mental, corresponde a gentil e pacientemente, guiar outras pessoas. No nível espiritual significa abençoar outras pessoas e seres sencientes.


Não ferir significa evitar violência física, bem como violência verbal e mental. No nível físico não ferir significa “Não matarás” e não machucar outras pessoas por raiva ou maldade. A prática da não agressividade em relação a outras criaturas é também muito importante. Tirar a vida de um animal para prover alimento não deve envolver maldade crueldade ou divertimento em ver o animal sofrer, deve ser indolor e rápido quanto possível. O se tornar vegetariano, ao menos na maior parte do tempo, minimiza o sofrimento dos animais.


Não-ferir verbalmente corresponde evitar o uso de palavras rudes ou ofensivas, as quais podem causar dor emocional profunda, que leve mais tempo para cicatrizar do que a lesão física.  Se você tem que criticar outra pessoa, faça-o com amor e suavidade, critique com o coração.
Em um nível mais sutil, não ferir significa minimizar ou se abster de raiva interna, ódio, maus pensamentos, inveja e crítica mental excessiva. Pratique a inofensividade mental. Uma pessoa pode não ser agressiva física ou verbalmente, mas internamente ela pode ser furiosa, cheia de pensamentos violentos ou está sempre criticando as falhas e defeitos dos outros ou mesmo desejando que eventualidades  ruins aconteçam a elas.
O não ferir a si mesmo: fumar, ingerir bebidas alcoólicas excessivamente, ou trabalhar demais, pode-se danificar o corpo, e no processo morrer mais jovem. Fazer uso de drogas e extremamente prejudicial, também à nível psicológico e inclusive afeta diretamente a família.
Se todos praticarem a bondade-amorosa, o mundo será um lugar melhor para viver.
Generosidade e não-roubar – significa compartilhar ou dar. No nível físico, é compartilhar ou dar coisas ou dinheiro com sabedoria. A chave para a prosperidade está em dar. Se você tem problemas financeiros, a maneira de tornar-se próspero é utilizar a lei do Karma por meio da prática da generosidade e não roubando. Se você quer receber, você tem que dar.  Se não plantou nada, como pode colher qualquer coisa? A lei do Karma lhe dá a capacidade da criação do seu próprio destino.
No nível emocional, você pode ser generoso sendo caloroso, compreensivo e encorajador. Algumas pessoas não dão amor, mas esperam ser amadas. Se quer amor, tem que dar amor. Tem que ser como o sol, constantemente irradiando. Cabe às outras pessoas decidir se querem ou não o banho de sol.
Mentalmente, pode compartilhar conhecimento e experiências com pessoas que estejam prontas e querendo aprender. Você vai perceber que sua compreensão de um certo assunto se torna mais profundo quando faz isso. Para se tornar “expert” em um determinado assunto, ensine-o. Dê e receberá. Está é a lei.
Não-roubar significa que uma pessoa não deve tomar nada que não lhe pertença. A nível de relacionamentos, não se deve roubar afeição ou cobiçar o cônjuge alheio. A nível mais sutil, não se deve roubar o mérito ou créditos devidos a outras pessoas.
Perceção Acurada, correta Expressão e Não falsidade
A alma é um ser de inteligência divina. Esta qualidade se manifesta como perceção acurada, correta expressão e não-falsidade. Perceção acurada é “ver as coisas como elas são”, correta expressão é “responder adequadamente” – física, mental ou emocionalmente. Uma decisão, uma administração de uma empresa ou organização de um evento é uma forma de expressão.
1-     Honestidade e Não-mentir.  Pratique o tipo maduro de honestidade em relação às outras pessoas e em relação a si mesmo. Não minta para si mesmo.                              Para compreender ensinamentos espirituais muito profundos, ou desenvolver perspicácia e clareza mental, deve praticar a honestidade em relação às outras pessoas e a si mesmo. É muito importante. Por que? Quando uma pessoa mente ou engana outras pessoas, ela gera um Karma negativo de distorcer as perceções das outras pessoas . Consequentemente, suas próprias perceções serão distorcidas. É por isto que quando uma verdade simples é apresentada a esta pessoa, ela não pode compreender.
2-     Equilibrar a Virtude da Honestidade e Não- Mentir com Bondade-Amorosa e Não-Ferir.
O que chamamos verdade pode ser apenas parcialmente verdade, e se você a expressa, o resultado pode ser desastroso. Um exemplo: um filho de uma senhora de 80 anos, morreu de sida (síndrome da imunodeficiência imunológica adquirida). Diríamos  a idosa seu filho era homossexual e morreu de sida? É isto honestamente maduro? Não. Por que? Vai   contra a virtude da bondade-amorosa e não-ferir. Revelar a informação detalhada vai causar imensa dor emocional e física. Usando a inteligência podemos dizer apenas. “Seu filho morreu de uma infeção pulmonar”. Evita-se a cor emocional adicional  desnecessária
3-     Diferentes Níveis de Verdade e suas Facetas – Existem diferentes níveis de verdade, e dentro de cada um destes níveis , diferentes facetas da mesma. Por exemplo, vamos dizer que o círculo A seja o primeiro nível da verdade; o círculo  B, que contém parte do círculo A, é  o nível superior da verdade. O círculo C, que contém os círculos A e B, é o mais elevado nível da verdade. Poderia haver muito mais níveis de verdade. A verdade é dinâmica e não estática. Podemos enxerga-la  também de maneiras diferentes, é multifacetada.
A verdade vai além da informação correta. É ser capaz de ver diferentes facetas e níveis de um certo evento ou objeto, e agir de acordo, apropriado e gentilmente. A perceção acurada deve ser sempre equilibrada. Atitudes ou posições fanáticas são extremamente perigosas e frequentemente ofensivas, e portanto devem ser evitadas.
4-     Discernimento ou discriminação e Não-Superstições. Pratique a discriminação ou discernimento, não devemos  engolir mentalmente tudo que lhe é apresentado.
O Senhor Buda disse, “Não devemos acreditar em algo que foi dito simplesmente porque tenha sido dito; nem em tradições porque tenham sido transmitidas desde a antiguidade; nem em rumores, como tais; nem em escritos dos sábios, porque sábios os tenham escrito; nem em fantasias que suspeitemos que tenham sido em nós inspiradas por um Deva (isto é, em suposta inspiração espiritual); nem em conclusões tiradas de alguma suposição ao acaso que possamos ter feito;  em por causa daquilo que parece ser uma necessidade analógica; nem devido à mera autoridade de nossos professores e mestres. Mas devemos acreditar quando o texto, doutrina ou declaração forem corroborados por nossa própria razão e consciência. Por isto… Ensinei-lhes a não acreditar simplesmente porque tenham ouvido; mas quando acreditarem com sua consciência, então ajam de acordo e abundantemente.”
Deve-se evitar crenças supersticiosas, não apenas em assuntos esotéricos, mas também em qualquer campo do conhecimento. Tudo ser questionado e testado, se possível.
Em certas áreas onde não é possível checar a validade de um certo conceito, se este foi declarado por alguém com boas referências, então se pode considerar aquele conceito “temporariamente verdadeiro”, até que se esteja em uma posição que possa validá-lo no futuro.
O desenvolvimento do discernimento do discernimento e não- superstição é extremamente importante. Uma pessoa deve ser capaz de discriminar entre o que é verdade e o que não é verdade, o que não é importante. Enquanto uma pessoa não desenvolver essa virtude em um elevado, o progresso espiritual será bastante lento.
5-     Humildade, Gratidão e Respeito, e Não-Convencimento.
Ao interagir com um professor espiritual, deve-se praticar humildade e não-convencimento.  A humildade é uma consequência da auto-estima. Ela decorre do estado de estar consciente de seus pontos fortes, bem como de suas fraquezas e deficiências. Pessoas com auto-estima tendem a ser extremamente convencidas. Ao interagir com o professor espiritual, deve-se ser humilde; caso contrário, é impossível aprender. O professor não vai ensinar nada ao aluno.
Deve haver gratidão e respeito porque, recebeu imensos benefícios e bênçãos e continuará a receber, sem o professor, o processo espiritual é muito lento.
Ensinamentos e práticas podem ser questionados, mas isto deve ser feito educadamente, nunca de maneira rude.
6-     Honrando Compromissos Assumidos e Não-irresponsabilidade
Antes de assumir um compromisso, deve-se examinar o assunto detalhadamente, verificando se  está em condições de cumpri-lo. Se não, não se deve prometer ou assumir nada. Uma vez que uma promessa ou compromisso tenha sido feito, este deve ser mantido tanto quanto possível. Se uma pessoa diz que pode cuidar de uma certa tarefa, ela deve cumpri-la. Não fazer isto é um sinal de irresponsabilidade ou falta de confiabilidade.
7-     Habilidade na ação e Reação sem Pânico
Uma pessoa que tenha habilidade na ação mantém a calma e vê as coisas com precisão, mesmo em momento de crise. Ela deve formular questões simples tais como: “O que está acontecendo exatamente?, Qual é a pior coisa que pode acontecer?, “Quais são as escolhas possíveis ?”  Apenas formulando estas questões simples, uma pessoa estará apta a decidir qual o melhor curso de ação e agir adequadamente. Para estar apto a atingir grandeza, ela deve ser capaz de enfrentar crises ou pressão.

Moderação e Não-Excessividade

Moderação e não-excessividade é também conhecida como maestria da alma. É importante que se tente evitar comportamentos extremados ou excessivos e praticar moderação. Financeiramente significa que se deve evitar gastos excessivos ou esbanjamento. Se possível poupar e investir uma parte do seu rendimento, após o pagamento dos impostos e de suas contas. Esta é uma das chaves da prosperidade.
Desfrutar a vida, divertir-se, trabalhar, e fazer sexo é muito bom. Porém, tem que ser praticados com moderação.
A energia sexual, quando transmutada, serve de alimento para os centros superiores. Quando isto acontece, a pessoa se torna mais inteligente e espiritual. Entretanto quando uma pessoa adota uma atitude negativa em ralação ao sexo, a energia sexual não consegue fluir para cima e alimentar os centros superiores. Como resultado, atingir iluminação espiritual será muito difícil, se não quase impossível. Ter uma atitude puritana em relação ao sexo bloqueia o desenvolvimento espiritual. Este é um problema sério entre sacerdotes, swamis, iogues e todos os tipos de pessoas religiosas.
Se a sua atitude em relação ao sexo é normal, o fluxo de energia ascendente e descendente é constante e automático. Existem duas escolas de pensamento – a escola puritana que diz que sexo é sujo, e a escola liberal, que permite que você faça sexualmente o que quiser. No momento que você adota uma atitude negativa, a energia sexual fica presa e como resultado não consegue subir para alimentar os chackras superiores. Isto pode se manifestar fisicamente como um mioma nos órgãos reprodutores, ou algo mais grave. Por outro lado, fazer sexo excessivamente não é recomendável, pois dificilmente haverá energia sexual suficiente para subir e alimentar os centros superiores. A maior parte dela já terá sido utilizada. Ambos os casos são, portanto prejudiciais. Em vez disso siga o caminho do meio – a moderação e equilíbrio . Uma vez que a energia sexual é alimento para os chakras superiores, deve haver moderação ao envolver-se no ato sexual. Desfrute o sexo intensamente, mas com moderação.

Constância de Esforço e Objetivo, e Não-Preguiça
Certa vez um iogue, que tinha sido iniciado por um certo swami que dera a ele uma certa técnica, meditou imediatamente. Ele comeu e dormiu muito pouco. Após meditar quase sem parar por vários dias, ele atingiu a iluminação. Alguns de vocês já  foram orientados a meditar. Você decide meditar à noite, mas em vez de meditar, você diz, “ Deixa-me ler o jornal antes,” ou “Deixe-me assistir Tv,” ou “Vou ouvir musica antes,” “Deixe-me telefonar para o meu amigo”. Quando chega a noite, seu corpo já está cansado, então você diz, “Vou dormir. Meditarei amanhã”. Vem o amanhã e você repete a mesma coisa.   E assim por diante por meses ou anos. É por isto que você precisa de constância de esforço e objetivo. Esta virtude também significa não-procrastinação.
Você tem que decidir se quer fazer práticas espirituais ou não. Ninguém pode forçar. Pratique apenas se realmente quer praticar, não porque todo mundo esta meditando.
Quando decidir meditar regularmente, faça um plano e siga-o . Constância de esforço e objetivo e não-preguiça são a chave do sucesso e desenvolvimento espiritual.
Quando meditar medite sempre que possível no mesmo lugar, quando se medita no mesmo lugar, a energia espiritual gerada impregna o ambiente. Então quando você se senta, sua mente e emoções ficam quietas. Por outro lado, um lugar novo tem todos os tipos de pensamentos e emoções fluindo ao redor. Ele está psiquicamente poluído.
 
Evitar Remorso Excessivo
Evoluir espiritualmente implica um processo, e processo implica erros. Algumas pessoas tem uma consciência hipersensível.  Elas pensam que são as piores pessoas na terra quando cometem um pequeno erro. Se você fica remoendo as coisas erradas que você fez e continua criticando a si mesmo, será quase impossível corrigir o erro ou remover vício. Naquilo que você medita, você se torna. O que deve fazer? Primeiramente, apague mentalmente o evento prejudicial. Imagine então que está fazendo, dizendo ou sentindo a coisa certa. Imagine também a pessoa envolvida está reagindo da maneira correta. Por que? Este é o poder da materialização. Aquilo que você pensa repetidamente, com convicção, tenderá a se manifestam como ação prejudicial; ações benéficas repetidas se manifestam como virtude. O mesmo é verdade para pensamentos negativos.
 
DIAMANTES DE SABEDORIA - PEMA WANGYAL - EDITORA ÂNCORA


"Novas Terapias - Vistoria no campo de Energia"

Por André Valentim. Terapeuta Holístico. Fala-se, cada vez mais, das novas terapias. Reiki, Cura Prânica, entre tantas outras. Fala-se também que basta fazermos alguns cursos e iniciações para estarmos prontos para o campo de acção.

Ora, diz a minha modesta experiência que não é tão simples assim. O nosso sistema de energia é complexo; estamos ainda nos primeiros passos para descodificar toda a informação que trazemos no nosso Ser.


Se estivermos atentos,  passamos muitos anos das nossas vidas bombardeados com pensamentos e emoções negativas. Pensamentos e emoções essas que começam a distorcer, a reestruturar o nosso campo de energia (a aura) de uma forma anómala. É aí que a doença aparece, como o cancro, por exemplo; essa dissonância já se materializou no plano físico. O que fazemos? Temos que lutar para reverter todo este processo de longos anos.
Através das novas terapias conseguimos fazer uma “vistoria” no campo de energia para encontrar os bloqueios que se formaram, ou ainda em formação, por pensamentos e emoções constantes que emitimos como: raiva, ódio, cólera, inveja, rancor, baixa auto-estima, medo, tristeza. Além de nos exaurir energeticamente, vão minando as linhas de força do nosso campo áurico, como pequenos parasitas que “entopem”o nosso circuito, desviando a energia do seu percurso normal, fazendo com que a energia vital não chegue aos nossos órgãos. Normalmente estes bloqueios  aparecem como placas ou blocos de energia estagnada. Algumas vezes, rompem o nosso campo áurico, deixando a nossa protecção natural com fissuras ou buracos, potenciando o ataque de bactérias, vírus e também de seres do Astral. Esta desorganização também pode causar um desequilíbrio nos elementos tão falados na Medicina Tradicional Chinesa: Fogo, Terra, Metal, Água e Madeira, além de outras configurações anómalas que podemos notar.
Resumindo, o nosso sistema energético entra em pane, começam a aparecer disfunções a nível orgânico como: dores, manchas, doenças de pele, taquicardia, ansiedade, desequilíbrio do nosso PH, entre outros problemas mais graves.
E o que fazer? Usar todas as ferramentas que estão ao nosso alcance como prevenção,  para encontrar a cura: Reiki, Cura Prânica, Hipnose clínica, Cura de Thoth, taças tibetanas, risoterapia, etc. Existe uma infinidade de terapias poderosas  com resultados maravilhosos, e que não invalidam a medicina convencional, mas funcionam como coadjuvantes, reforçando a cura. É necessário não esquecer que a cura é um processo em conjunto, terapeuta e paciente, além claro da ajuda de nossos Mestres, Guias e Anjos de cura. Sem eles seria muito difícil conseguirmos avançar na jornada. Muitas vezes não temos consciência, mas em toda a sessão de cura que nos propomos a ajudar, estes Seres estão presentes, com as suas emanações benéficas e calmantes, acelerando todo processo.
Mas, convém ter em mente que, às vezes, a doença é apenas uma chamada de atenção, para acordarmos; para nos lembrar que existe uma razão para aqui estarmos. E que, talvez, nos tenhamos   desviado do caminho proposto.
No processo de cura é preciso que a pessoa   mude o seu padrão de pensamento, para emoções positivas. Só assim   poderá reestruturar o seu campo energético. Algumas pessoas julgam que o processo é da inteira responsabilidade   do terapeuta. Vão às  consultas, saem melhores, mas não fazem os trabalhos de casa, achando que já estão curadas, voltando ao padrão mental anterior. Pouco tempo depois os seus sintomas voltam. Ter consciência do processo é muito importante.
Meditação e relaxamento são também essenciais, pois   ajudam-nos  a compreender o que está errado, onde estamos a falhar. Percebemos que a doença está a tentar transmitir uma informação, uma chamada de atenção. Quando compreendemos a razão e mudamos o padrão mental, na maior parte dos casos, a cura é certa.







.)












CORPO ETÉRICO
Ou corpo bioplasmático (deriva de bio, significa vida, e plasma, que é o quarto estado  da matéria, sendo os outros três sólido, líquido e o gasoso. Bioplasmático significa corpo de energia viva, composto de matéria subtil invisível ou matéria etérica.  Lembram da fotografia Kirlian? Podemos também chamar “Aura”, é luminoso e invisível aos olhos físicos, segue os contornos do corpo. O corpo de energia está tão estreitamente ligado ao corpo físico visível que o que afeta um afeta o outro. O duplo etérico é altamente sensível e influenciável e se ressente, em sua estrutura íntima, do comportamento humano equilibrado ou não, no que tange as virtudes ou viciações. É constituído por centros de energia chamados chacras ou vórtices energéticos. Os chacras captam energias superiores , o fluido cósmico  ao ser assimilado pelos chacras transforma-se em fluido vital que é o responsável pela manutenção da qualidade de vida saudável, nutrindo as células  através de canais específicos de energia subtil conhecidos como “nádis” e “meridianos”(acupuntura).
As doenças aparecem primeiro no corpo de energia…


Toda vez que houver distúrbio na distribuição e na captação do fluido vital, algum tipo de congestão energética ou baixa de vitalidade, a saúde física ficará seriamente comprometida.
NUTRIÇÃO ENERGÉTICA: - A respiração (pulmonar, celular ou orgânica) é a forma mais comum do ser humano manter-se ligado à fonte de vitalidade. As biomoléculas do elemento vital podem ser absorvidas pela respiração;- Alimentos sólidos e líquidos; - Energias provenientes do ecossistema: rios, mares, matas, raios solares etc. absorvidas por meio dos chacras ou órgãos energéticos; -Sono, que promove recuperação vital e energética, entre outras formas, por meio da liberação de substâncias tóxicas durante a projeção extrafísica; - Energia cósmica, assimilada diretamente pelo corpo astral.


BLOQUEIO ENERGÉTICO: Quando os canais são obstruídos, impede-se a livre circulação da energia ou do fluido vital. Os responsáveis mais comuns (entre outros, falo aqui dos mais imediatos) para obstrução ou destruição destes canais são elementos tóxicos e venenosos, como: bebida alcoólica, drogas o tabaco que promovem distúrbios na circulação sanguínea e no sistema nervoso, além de disfunções nos chacras. A nicotina e o alcatrão, de forma mais atuante, corroem a matéria etérica formando “buracos” na aura. O corpo etérico funciona como um manto protetor, que impede o contato constante e sem barreiras com o mundo astral. O corpo etérico assemelha-se a camada de ozono que protege a Terra, e quando destruída, provoca “buracos”, sem proteção certos raios solares penetram produzindo alguns males ao ser humano.
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
Medicina da almaRobson Pinheiro , pelo Espírito Joseph Gleber
Energia – Novas Dimensões da Bioenergética Humana – Robson Pinheiro, orientado pelos Espíritos Joseph Gleber, André luiz e José Grosso
Medicina Vibracional – Richard Gerber
Para entender a acção dos remédios florais sobre a saúde…
Assim como o homem possui um duplo de natureza etérica, as plantas também o possuem, e isso é de fácil observação…, sendo este duplo, do plano eletromagnético, a verdadeira essência do reino vegetal.
Nas plantas as flores são a parte mais sútil e evoluída, concentrando-se nelas todo o energismo do fluído vital. É a flor o órgão de fertilidade na planta, por concentrar nela a essência sublimada de toda a energia vegetal, sendo o máximo da expressão evolutiva nesse reino da natureza.
A energia eletromagnética e o fluido vitalizante são canalizados, por processos naturais, para o delicado tecido floral: pétalas. Quando se realiza a preparação das essências, os raios solares filtrados através das pétalas transmutam as energias etéricas das plantas e o alto padrão magnético encontrado nas flores, que já trazem seu magnetismo próprio, misturam-se às propriedades da energia solar, combinando diversas reações moleculares, na constituição etérica do medicamento.
Ao ser os florais ministrados às pessoas, o quantum energético das flores promove a interação das energias do soma e do duplo etérico, passando pela corrente sanguínea e atuando, logo em seguida, nas células nervosas, produzindo uma reação em cadeia que atinge os estados emocionais por intermédio dos chakras.
Após atingir o sistema de distribuição energética entre os diversos chakras, o fluido vital atua nos meridianos, e destes é transferida a sua ação, de forma mais intensa, para as camadas mais materializadas do psicossoma ou perispírito, no fenômeno conhecido como repercussão etérica, e a resposta dessa atuação é o restabelecimento emocional da pessoa, o que produz efeitos mais ou menos intensos conforme a vibração mento-emotiva de  cada um. Esse processo que descrevemos é realizado de maneira rápida, embora a dificuldade de observação por parte de meus irmãos.
Desse modo atuam os medicamentos, em bases vibracionais,  elevando o padrão magnético de quem os utiliza, formando o clima emocional, energético e psicológico necessário para o restabelecimento da saúde.
TEXTO TRANSCRITO DO LIVRO :  “MEDICINA DA ALMA” – Robson Pinheiro pelo espirito Joseph Gleber.           Editora: Casa dos Espíritos
www.casadosespiritos.com.br
 
A Morte e o Morrer

A perspectiva da alma com relação a morte é bem diferente da que é exposta pelo pensamento ocidental actual. A visão da ciência moderna é uma meia-verdade. Para ela, só é real o que podemos ver com os olhos físicos e perceber com os cinco sentidos. Essa abordagem limitada induz as pessoas a interpretar a morte  como um fato totalmente material – a morte do corpo físico como a morte da pessoa – porque ainda não compreenderam a existência da alma.
Na visão da reencarnação aceita pela maioria dos habitantes do planeta, menos no mundo ocidental do que no oriental. Isso acontece porque foi retirado da Bíblia todas as referencias à reencarnação no Segundo Concílio de Constantinopla, em 553 d.C. Isso esta registado  nas atas daquele encontro que aparece em nossos livros de história actuais.
Sem dúvida a reencarnação é um facto. Na realidade, não existe isso que chamamos de morte. Ela é uma ilusão do sistema de pensamento do ego negativo.
Por definição ego é o sistema de pensamento que se identifica com a matéria. Quando acreditamos que somos corpos físicos, e não almas que vivem em corpos físicos, concluímos que  a morte é real. A morte não é senão a transformação de um estado de consciência em outro. Ensinaram-nos a vê-la como o terror derradeiro, quando na verdade ela é a libertação suprema.
A morte é a possibilidade de  libertação da ilusão da forma e de retornar ao nosso lar espiritual.  Encarnar é como vestir um escafandro e tentar caminhar debaixo da água com ele. A morte é a libertação desse estado de consciência absolutamente limitado.
Quando entramos na matéria, identificamo-nos excessivamente com ela e adormecemos para nossa verdadeira identidade. Nesse sentido morremos para essa verdadeira identidade, que é a alma.
Também “morremos” todas as noites quando dormimos. Morremos para a consciência física, transladamo-nos para nosso corpo e consciência espiritual e viajamos.
Para nossa evolução espiritual é preciso morrer para renascer. O processo de iniciação não é nada mais do que a morte para um determinado estágio de consciência e o renascimento para um estado de consciência mais expandido e libertador. Ela só é dolorosa quando nos apegamos ao nível ou estágio pelo qual estamos passando.